Raphael Alexandre Lustchevsky

10 Dezembro, 2020 pelas 19h00 (quinta)
no IPV, Aula Magna

Concerto live streaming em: www.musicadaprimavera.pt // Youtube // Facebook

Programa

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849)
Trzy Impromptus:
– em La bemol maior, Op. 29
– em Fa # maior, Op. 36
– em Sol bemol maior, Op. 51

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849)
Andante Spianato et Grande Polonaise Brillante Op. 22

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849)
Barcarolle em Fa # maior, Op. 60

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849)
Nocturne em Do# menor, op.posth.

FRYDERYK CHOPIN (1810-1849)
Scherzo em Si menor, Op. 20

Ficha Artística

Raphael Alexandre Lustchevsky – Piano

Mecenas: Embaixada da República da Polónia em Lisboa


A fidelidade excepcional à era de Frederic Chopin e a clareza incomum de interpretação fazem de Luszczewski um dos melhores artistas do repertório de Chopin no mundo e um dos maiores pianistas de sua geração. O seu nome é conhecido pelos espetadores das melhores salas de concerto do mundo. É de salientar que Raphael A. Luszczewski, além da incrível técnica, também é um notável divulgador do compositor polaco no mundo, responsável em grande parte, entre outros, pela organização de competições musicais de Chopin nos países da América do Sul.
Raramente somos confrontados com música que flui tão brilhantemente do coração da expressão romântica contida nas obras de Chopin. Luszczewski consegue combinar em simbiose a nobreza, calor e delicadeza com dinâmica e expressão notáveis, esses contrastes sendo reconciliados por uma característica que falta em muitos pianistas modernos: inspiração irrestrita e espírito encantado nas obras de Frederic Chopin.

Biografia

RAPHAEL ALEXANDRE LUSTCHEVSKY
O polaco Raphael Alexandre Lustchevsky fez a sua estreia artística aos 16 anos com a Orquestra Sinfónica de Tóquio. Reunindo as mais altas aclamações do público e da crítica musical, o pianista pertence hoje aos artistas mais célebres de sua geração. O seu nome como Steinway Artist aparece na prestigiada lista “The Steinway & Sons Artists ‘Roster” em Nova York – um catálogo dos pianistas mais respeitados do mundo. É também conhecido como artista da empresa Montblanc.

Realizou concertos em várias salas de prestígio, como: Teatro do Châtelet em Paris, Filarmónica Nacional de Varsóvia, Palau de Música em Barcelona, ​​KKL em Lucerna, Palácio das Nações em Genebra, Suntory Hall em Tóquio, Victoria Sala de Concertos em Singapura, Sala Verbrugghen em Sydney, Sala Cecilia Meirelles no Rio de Janeiro, Salão Dourado em Buenos Aires, Teatro Solis em Montevideo, entre outros.

Lustchevsky apareceu em festivais internacionais de renome como: Lucerne Festival e Pianoforte Bellinzona na Suíça, Oraniensteiner Festwochen na Alemanha, Chopin Festival (Duszniki) e Mozart Festival (Varsóvia) na Polónia, Festival d’Orleans na França, Festival Lipatti na Roménia, Sarayevo Winter na Bósnia, L’Octobre Musicale na Tunísia, Festival Cervantino no México, Festival Chopiniana em Buenos Aires (Argentina), Festival Internacional de Piano em Kuala Lumpur (Malásia), Festival de Palm Beach no EUA e outros.

Rafael iniciou os seus estudos aos seis anos de idade. Formou-se em Artes Cénicas na Academia Superior de Música de Katowice (Polónia) e Diploma de Pós-Graduação (PhD) na Escola Superior de Música “Franz Liszt” em Weimar (Alemanha). Estudou com Andrzej Jasinski, Lazar Berman e Alexis Weissenberg.

Lustchevsky venceu várias competições internacionais de piano, como: “Clara Schumann” na Alemanha, “María Canals” na Espanha, “Luis Sigall” no Chile e o Grand Prix do International Piano Competition “Dinu Lipatti” em Bucareste (Roménia), organizado sob o patrocínio da UNESCO.

A sua atividade artística e os seus méritos foram reconhecidos várias vezes pelo Ministério da Cultura da Polónia. Foi ainda premiado com distinções pelo Presidente da Roménia, a Câmara Municipal de Rio de Janeiro e outros.

O seu repertório artístico é muito amplo, expandindo-se da época barroca aos compositores espanhóis e polacos do século XX e possui mais de 30 obras para piano e orquestra. A sua carreira artística foi marcada por participações em importantes orquestras sinfónicas da Polónia (como a Filarmónica de Cracóvia, a Filarmónica do Báltico de Gdansk); na Europa (Sinfonia Nacional da Rádio Eslovaca, Sinfonia Nacional da Rádio Romena), Ásia (Filarmónica Estatal Russa em Irkutsk, Sinfonia Nacional da Malásia), África do Sul (Filarmónica de Joanesburgo), Leste (Filarmónica Real de Omã) e América do Sul (Filarmónica Nacional de Montevidéu, Sinfonia Nacional do Chile, Orquestra Sinfónica Nacional de Brasília, etc.).

Lustchevsky fez várias gravações musicais para a Rádio Poloca, Rádio Suíça DRS2, ABC na Austrália, NPR nos EUA, Fujisankei no Japão, Megavision no Chile. Os seus 10 discos foram publicados com rótulos japoneses, alemães, suíços e polacos. Entre eles estão gravações da música de compositores polocos: “Modern Classics from Poland” – primeira gravação no mundo da fonografia do Concerto para Piano e Orquestra (1997) de K. Debski, com a Orquestra Filarmónica Poloca “Sinfonia Baltica”; e “Polish Chamber Music” – obras de câmara dos compositores Emanuel Kania e Josef Elsner.

Considerado intérprete especialista em música de Chopin, Lustchevsky fez vários recitais no Museu – Casa do Nascimento de Chopin em Zelazowa Wola (Polónia). Deste compositor, já gravou “Hommage a Frederic Chopin” – Concerto nº 1 de Chopin gravado com a Orquestra Sinfónica da Filarmonia das Nações de Hamburgo (Alemanha); “Chopin Live” – ​​incl. Quatro Scherzos (trabalho completo) de Chopin, publicado sob o patrocínio da F. Chopin Society em Varsóvia e ainda “Chopin Ballades” – incl. Quatro baladas (trabalho completo).

Ao mesmo tempo, Lustchevsky é um pedagogo bem sucedido. Em 2003, foi nomeado professor honorário da Universidade Nacional da Costa Rica. Tornou-se professor convidado e conferencista em seminários e cursos de mestrado: lecionou na Universidade de Sydney, Universidade Griffith de Brisbane, Universidade Victoria de Wellington, Conservatório Xinghai de Guangzhou, Faculdade de Artes La Salle em Singapura, Universidade de Brasília, conservatórios nacionais de música de Buenos Aires, Lima e Montevideo e outros.

Em 2011, projetou e iniciou o Concurso Internacional de Piano “F. Chopin ”da América do Sul em Lima, Peru também sendo jurado. Da mesma forma, foi criador do Concurso Nacional de Piano Fryderyk Chopin do Equador, lançado em 2014 em Guayaquil, onde a trabalha como diretor artístico.