Masterclasses & Workshops

Na décima segunda edição do Festival Internacional Música da Primavera de Viseu voltamos a apostar na formação especializada. Acreditamos que o contacto com perspetivas de diferentes professores e instrumentistas de reconhecido valor pedagógico e artístico é um alicerce essencial para dar ferramentas a jovens e profissionais viseenses e outros.

Pretendemos com esta oferta proporcionar aos participantes o contacto com diferentes metodologias de trabalho e fomentar a troca de experiência entre formando e formador.
Estas atividades destinam-se a todos os músicos desde o alunos do Curso Básico a Profissionais.

Masterclass com Workshop

Guitarra Portuguesa com Pedro Caldeira Cabral

Masterclass com Workshop
6 de Abril, 2019 (sábado)
Horário: 14h30-17h30 (masterclass);
18h00-19h30 (workshop).
Programa: Aulas individuais de 30 minutos mais uma 1 hora e 30 minutos de workshop.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Workshop
6 de Abril, 2019 (sábado)
Horário: 18h00-19h30
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 10€;
Alunos externos: 20€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
PEDRO CALDEIRA CABRAL
Nasceu em Lisboa em 1950. Inicia os estudos musicais na infância em ambiente familiar, começando a tocar flauta de bisel, guitarra clássica e guitarra portuguesa.
Mais tarde estuda teoria musical, contraponto, harmonia e composição com os professores Artur Santos e Jorge Peixinho. Desenvolve como compositor, um estilo próprio para guitarra solista compondo igualmente peças de música de câmara para Teatro, Cinema e Bailado.
Tem-se apresentado na qualidade de solista em inúmeros concertos nas principais salas e festivais da Europa, E.U.A., Turquia, Tunísia, Marrocos, Brasil, Colombia e China.
Foi responsável pela direção artística do Festival de Guitarra Portuguesa na Expo’98, em Lisboa. Em 1999 foi publicado o livro “A Guitarra Portuguesa” de sua autoria, primeira monografia sobre as origens, evolução histórica e reportório do instrumento nacional.
Em 2002 produziu e apresentou a exposição “À Descoberta da Guitarra” no Museu Abade de Pedrosa, integrada no Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso.
Da sua vasta discografia salienta-se a produção e publicação de dezasseis álbuns como solista de guitarra portuguesa. Foi galardoado com o Prémio Carlos Paredes 2014, pelo CD duplo “Labirinto da Guitarra-Antologia” (Primetime, 2013).

Masterclass com Workshop

Clarinete com Carlos Piçarra Alves

Masterclass com Workshop
8 de Abril, 2019 (segunda)
Horário: 10h00-12h30, 14h30-16h30 (masterclass);
17h00-18h30 (workshop).
Programa: Aulas individuais de 30 minutos mais uma 1 hora e 30 minutos de workshop.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Workshop
8 de Abril, 2019 (segunda)
Horário: 17h00-18h30
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 10€;
Alunos externos: 20€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
CARLOS PIÇARRA ALVES
É atualmente Solista-A na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música e professor de Clarinete na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco. Artista e professor convidado da Universidade do Estado do Arizona (E.U.A.) em 2009 e 2010. Diretor artístico do Festival Internacional de Música de Paços de Brandão entre 2009 e 2012. Elemento do júri da Direção-Geral das Artes na área da Música em 2013. Licenciado pela ESMAE, na classe de António Saiote, e Prix de Perfectionnement no Conservatório Superior de Versalhes, com Philipe Cuper, tendo realizado masterclasses com os mais reputados clarinetistas internacionais. Foi premiado nos mais importantes concursos nacionais, incluindo os 1.os Prémios no Prémio Jovens Músicos, Juventude Musical Portuguesa e Concurso do Festival Internacional Costa Verde; semifinalista no Concurso Internacional de Roma e premiado no Concurso Aurelian-Octav Popa, na Roménia. A sua carreira expande-se por países como EUA, Rússia, Alemanha, Áustria, Holanda, Noruega, França, Itália, Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Roménia, Macau e Brasil. Apresentou-se a solo com a Orquestra Clássica do Porto, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra de Câmara Portuguesa, Sinfónica de Constanza (Roménia), Orquestra Sinfónica de Ontelia (Roménia), Orquestra J. Futura (Itália) e Banda Sinfónica Municipal de Madrid (Espanha). Dos seus trabalhos discográficos destaca-se a gravação do Concerto para Clarinete de Mozart com o maestro Rui Massena e a Orquestra Clássica da Madeira (EMI Classics) e as Integrais II para clarinete solo de João Pedro Oliveira. Gravou com Caio Pagano, Daniel Rowland, Catherine Strynckx e Paulo Álvarez, obras de Olivier Messiaen e Bartók para a editora Numérica. Nos E.U.A., gravou Recital in the West (2010) com o pianista Caio Pagano. É membro fundador do Arte Music Ensemble com o qual gravou o disco Divine. No TNSJ, musicou ao vivo Figurantes, de Jacinto Lucas Pires (2004), e Dom João, de Molière (2006), participando ainda em Sombras (2010), espetáculos de Ricardo Pais. Artista Buffet Crampton, é internacionalmente considerado um dos clarinetistas mais relevantes da atualidade.

Masterclass com Workshop

Bateria e Improvisação com André Silva e Elmano Coelho

Workshop
9, 10 e 11 de Abril, 2019 (ter. qua. e qui).
Horário: 10h00-12h30 e 14h00-18h00
Preço: Participantes (Alunos do Conservatório de Viseu): 30€; Participantes (Alunos externos): 50€; Ouvintes (Alunos do Conservatório de Viseu): 15€; Ouvintes (Alunos externos): 30€.
Fazer a inscrição
ANDRÉ SILVA
Desde muito cedo, aos 2 anos, começou a tocar bateria por influência do seu pai e irmãos.
A vontade de aprender e a felicidade em tocar bateria fez com que anos mais tarde, estudasse em Portugal com grandes nomes da bateria como Vicky, Hugo Danin, Michael Lauren e Leandro Leonet, que se revelaram grandes influências e que fizeram com que quisesse seguir uma carreira enquanto músico profissional.
Paralelamente à formação musical, de 2004 a 2007, frequentou e concluíu o curso de Novas Tecnologias de Comunicação, na Universidade de Aveiro que faz com que ainda hoje associe as tecnologias ao estudo da bateria, explorando o instrumento de diversas maneiras, aproveitando ao máximo o que a evolução tecnológica tem para oferecer, surgindo assim também tudo o que o Live in Loops pretende ser.
Assistiu a muitos workshops, de bateristas nacionais e internacionais, que sem dúvida eram um incentivo e inspiração a este foco que sempre teve e que cada vez era mais forte. Após a conclusão do curso, optou por dedicar todo o tempo à sua carreira enquanto músico profissional.
Apesar de já estar integrado no “mercado” da música, a sua vontade foi de ingressar na Drummers Collective em Nova Iorque, uma das escolas mais conceituadas de bateria em todo o mundo onde estudou em 2011 e 2012, passando com distinção nos vários cursos que realizou.
Estudou com grandes nomes internacionais dos quais se destacam Chris Coleman, Mark Giulliana, Kim Plainfield, Pat Petrillo, Peter Retzlaff, Jason Gianni entre muitos outros que se revelaram decisivos para uma evolução conseguida com muita dedicação, esforço e prazer. Tal como qualquer instrumento, por muitas aulas que se tenham, por mais informações que se absorvam, a prática é fundamental.
Em Portugal, atualmente toca com a Carolina Deslandes. Tocou com imensos artistas em Portugal e no Estrangeiro: Anselmo Ralph, Tony Momrelle, Zalon, Cuca Roseta, Carminho, Boss AC, Mariza, Mafalda Veiga, D8, Luís Represas, Nu Soul Family, Ídolos ao Vivo, Kataleya, Berg, Gota, Just Girls, Dzrt, Dazkarieh, entre muitos outros.
Gravou o seu 1.º DVD intitulado “Somewhere” em 2009, com o objetivo de se estabelecer no mercado e dar a conhecer o seu trabalho, pois vinha de Penalva do Castelo, Viseu, localidade onde nasceu e cresceu.
Com centenas de concertos realizados nestes últimos anos e a contínua procura de novas ideias e métodos, em 2019 lança uma app chamada Live in Loops.
Toca com DW Drums, Zildjian Cymbals, Remo Drumheads e Roland.

ELMANO COELHO
Elmano Coelho nascido em 1982, iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos numa igreja Evangélica onde teve oportunidade de crescer musicalmente com excelentes músicos.
É Licenciado em Saxofone pela Escola Superior de Música de Lisboa desde 2006 na classe do Professor José Massarrão e frequentou o Mestrado na Universidade de Évora, paralelamente frequentou aulas de jazz e música improvisada com Saxofonistas como Pedro Moreira, Guto Lucena, Tim Price, Ohad Talmor, David Binney, entre outros.
Conta com inúmeras participações em tão diversificadas áreas como Teatro, Musicais, Televisão (Programas, Séries, Concursos), a solo ou com artistas nacionais e internacionais das mais diversas áreas musicais do Jazz, Afro, Pop, Soul com os quais teve já o previlégio de atuar em inúmeros festivais e salas de concerto pela Europa, África, E.U.A., Brasil, Tailândia, Vietnam, Macau, Timor e China. Artistas como Aurea (Saxofonista e Diretor Musical), Herman José (Saxofonista residente em Talk Shows do artista Herman José desde desde 2004 até à atualidade onde acompanhou já vários artistas nacionais e internacionais sempre com Direção Musical do Maestro/Pianista Pedro Duarte.), Rui Veloso, Mallu Magalhães, Fernando Tordo, Paulo Carvalho, Tony Carreira, Trovante, Carlos Mendes, Paco Bandeira, Paulo Flores, Yuri da Cunha, Eduardo Paím, Cool Hipnoise, Matias Damásio, The Black Mamba, Marco Lobo, Tabanka Djazz, Yola Semedo, Playing for Change, Kutiman, Chris Bowater, Grace Évora entre outros, tendo integrado também formações como European Movement Jazz Orchestra, Orquestra Calouste Gulbenkian, Chattanooga Big Band, Hot Club Big Band, Claus Nymark Big Band e é membro fundador do Lisbon Underground Music Ensemble (L.U.M.E.).
Leciona Saxofone desde 2004 na prestigiada Academia de Musica de Santa Cecília. Tendo também já lecionado no Conservatório Metropolitano de Música de Lisboa, Conservatório Regional Silva Marques e Conservatório de Música de Santarém.
Atualmente lidera o seu Trio “Elmano Electric Jazz Trio” e é saxofonista residente no Talk Show de Herman José na RTP1 e saxofonista da artista brasileira Mallu Magalhães.
Elmano Coelho é Artista D’Addario Woodwinds e Endorser SD-Systems Mics.

Masterclass com Workshop

Acordeão com Franck Angelis

Masterclass com Workshop
11 de Abril, 2019 (quinta)
Horário: 9h30-12h30, 14h30-16h30 (masterclass);
17h00-18h30 (workshop).
Programa: Aulas individuais de 30 minutos mais uma 1 hora e 30 minutos de workshop.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Workshop
11 de Abril, 2019 (quinta)
Horário: 17h00-18h30
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 10€;
Alunos externos: 20€; Ouvintes: 5€.
Esgotado
FRANCK ANGELIS
Nascido em Melun em 1962, Franck Angelis chegou à música e ao acordeão muito novo, mas não se limitou a ele, tocando vários instrumentos e também ensinando piano, uma disciplina em que ganhou uma medalha de ouro.
Em 1981, ganhou o Troféu Acordeon World, quinze anos depois de Richard Galliano e dezesseis anos antes de seus dois pupilos, Roman Jbanov e Dominique Emorine.
Solicitado por muitos compositores, participou em várias criações e gravou para bandas sonoras de: “Jeanne et les garçons formidables” música de Philippe Miller, “Un Monde Entre Deux”, música de Bernard Cavanna. Posteriormente, continua a sua carreira de concertista e explora as possibilidades da composição.
Entre outras coisas, assina a música teatral “Les Solilóques d’un cœur” para a “Nationale de Clermont Ferrand”, dirigida por Jean Philippe Vidal.
Participa em numerosos júris nacionais e internacionais e algumas das suas composições estabeleceram-se como peças de referência.
Mais do que pelo seu virtuosismo técnico, é pelas suas qualidades musicais que as composições de Franck marcam. As suas composições são obras de grande modernidade e originalidade, que não hesitam em casar-se numa expressão muito pessoal: música barroca e francesa (Brel-Bach), ou música tradicional chinesa e jazz (Asia-flashes). São o testemunho do génio criativo e da grande cultura musical deste compositor. Este aglomerado de culturas foi absorvido durante as suas turnês por países como Itália, Áustria, Jugoslávia, China… entre outros.
Professor pós-graduado, atualmente leciona na Escola Nacional de Música de Gennevilliers.
Muitas obras de Franck Angelis são interpretadas pelos maiores artistas de concerto do mundo (Mika Varynen, Alexander Skyarov, Petar Maric, Grayson Masefield, Domi Emorine, Roman Jbanov, etc.).
Em 2010, a sua peça “HAITI” venceu, na Croácia, o primeiro prémio de composição concedido pela Confederação Internacional de Acordeonistas (IMC-UNESCO) e também o primeiro prémio em 2012 concedido à sua peça “BEIJING 2011”.
Algumas das suas principais composições para acordeão são: Suite de concert; Beijing 2011; Moscou Paris; Comastor; Romance; La valse du Clown; Intérieur; Haïti; Boite à rythme; Toccata; Etude; Paris-Moscou; Amalgame; Romance (II); Hommage à Paco; Spleen; Impasse; Fantaisie; Nocturne.

Masterclass com Workshop

Violino com Roberto Valdés

Masterclass com Workshop
12 de Abril, 2019 (sexta)
Horário: 9h30-12h30, 14h30-16h30 (masterclass);
17h00-18h30 (workshop).
Programa: Aulas individuais de 30 minutos mais uma 1 hora e 30 minutos de workshop.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Workshop
12 de Abril, 2019 (sexta)
Horário: 17h00-18h30
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 10€;
Alunos externos: 20€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
ROBERTO VALDÉS
Desde a sua estreia com 7 anos, Roberto Valdés foi-se tornando um reconhecido solista e músico de câmara, tanto na América como na Europa, tendo tocado as mais icónicas obras para violino, clássicas e da América Latina.
Como solista, colaborou com diversos maestros, tais como Igor Yaroslavski, Miguel del Castillo, Sung Kwak, Alfredo Rugeles, J. Calabrese, Cristóbal Soler, Francesco Belli, Carlos Riazuelo e Max Ravinovitch, entre outros. Já atuou em palcos como o Gran Teatro de La Habana, Teatro Amadeo Roldán, Teatro Teresa Carreño, Grand Hall of the Moscow State Conservatory, Liceu de Barcelona, Palau de la Música Valencia, Teatro Amira de la Rosa, Teatro Heredia, Miry Hall of the Conservatory Ghent, Teatro Comunale “G. D’annunzio”, Grande Auditório e Centro Cultural de Belém.
Roberto Valdés foi o diretor musical do Conjunto de Cámara de la Habana (Cuba), diretor artístico e musical da Orquesta Filarmónica del Caribe (Colômbia), Camarata Ensemble da Guarda e Camerata Ibero-Americana (Portugal); concertino da Orquesta Sinfónica de Valencia (Venezuela), Orquesta Sinfónica de Medellín (Colômbia); e concertino convidado da temporada de ópera no Palau de la Música de Valencia (Espanha).
Durante os seus mais de 20 anos enquanto professor, Roberto Valdés trabalhou na direção do Departamento de Cordas do Instituto Superior de Arte em Havana (Cuba) e no Conservatorio de Música de Valencia (Venezuela). Foi professor na Universidad EAFIT de Medellín (Colombia). Foi convidado para dar masterclasses na Universidad Simón Bolívar em Caracas (Venezuela); um curso de verão na Academia Reina Sofía em Madrid (Espanha); e na Universidad de Valencia (Espanha).
Durante mais de quinze anos, Valdés colaborou com a Fundación del Estado para el Sistema Nacional de Orquestas Juveniles e Infantiles de Venezuela (FESNOJIV) enquanto professor de violino e music coach dos violinistas da Orquesta Sinfónica Simón Bolívar, incluindo Gustavo Dudamel, Diego Matheuz, Dietrich Paredes e Alejandro Carreño.
Os seus alunos já venceram vários concursos internacionais importantes como o Henryk Szering Violin Competition, Unión Nacional de Escritores y Artistas de Cuba (UNEAC), David Russell Competition, Concurso Internacional Luís Ángel Arango, e Concurso Internacional de Violino da Covilhã.
O violinista nasceu em Havana, Cuba, fez o mestrado em Fine Arts no Tchaikovsky Conservatory e no Gnesen Institute, em Moscovo, onde estudou com Sergei Kunakov, Zoria Shikhmurzayeva, Halida Akhtyamova, Dmitry Schebalin, entre outros.
Roberto Valdés é, atualmente, docente na Universidade de Aveiro e na Escola Profissional de Música de Espinho (Portugal), e professor convidado da Academia Latinoamericana de Violin, em Caracas (Venezuela).

Masterclass

Violoncelo com Miguel Rocha

Masterclass
25 de Abril, 2019 (quinta)
Horário: 9h00-12h30, 14h30-16h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
MIGUEL ROCHA
Miguel Rocha iniciou os seus estudos no Conservatório do Porto com Isabel Delerue. Em 1983, prossegue a sua formação no estrangeiro com M. Strauss (Paris), Vectomov (Praga), Iankovic (Maastricht), Aldulescu, Pergamenchikov (Basileia) e Fallot (Lausanne). Obteve vários diplomas com a máxima classificação, entre os quais o 1.º Prémio de Virtuosidade do Conservatório Superior de Lausanne e o 1.º Prémio do Concurso Internacional de Música UFAM. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian de 1983 a 85, para estudar em Paris e na Academia Superior de Praga. Prosseguiu o seu aperfeiçoamento no Conservatório de Maastricht e na Academia Superior de Basileia, como bolseiro da SEC. Participou em estágios de Pedagogia na Manhattan University com Burton Kaplan e igualmente em cursos de interpretação com Paul Tortelier, C. Henkel, Janos Starker, P. Muller e M. Tchaikovskaia.
Efetuou concertos em França, Suíça, Alemanha, Itália, Espanha, México, Brasil e EUA. Foi violoncelista solo na Sinfonietta de Lausanne de 1996 a 1999. Lecionou durante 10 anos em várias escolas em França, nomeadamente no Conservatoire National de Belfort, Grenoble, Annecy e na Suiça, em Lausanne, de 1997 a 2000. Em 2001 regressou a Portugal, onde desenvolve uma intensa atividade como solista e músico de câmara, assim como pedagogo, na Escola Superior de Castelo Branco – ESART. Tocou em várias formações com Ana Bela Chaves, António Rosado, Luíz Moura Castro, Daniel Rowland, Miguel Borges Coelho, Aníbal Lima e Filipe Pinto Ribeiro, entre outros. Como membro do Duo Contracello gravou três CD’s. Com o Trio Athena, gravou um CD em França, com os trios de Debussy e Beethoven. No violoncelo barroco, com o Avondano Ensemble, participou na edição e gravação de repertório inédito do séc. XVIII português – As quatro sonatas e dois duos de João Baptista André Avondano (com o violoncelo Stradivarius “King of Portugal”) e na gravação de um segundo CD, com Os Trio Sonata de Pedro António Avondano (com o violoncelo Galrão, do séc. XVIII). Atualmente é Violoncelo Solo da Orquestra Filarmónica Portuguesa.

Masterclass

Piano com Shao Xiao Ling

Masterclass
23 e 27 de Abril, 2019 (ter. e sáb.)
Horário: Dia 23: 14h30-18h00; Dia 27: 09h30-12h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
SHAO XIAO LING
Shao Xiao Ling é professora auxiliar no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e a sua principal área de ensino centra-se em piano performance e música de câmara. É doutorada em Música pela Universidade de Aveiro (2011), Mestre em Piano Performance pelo Rotterdams Conservatorium (2001) e Licenciada em Ensino da Música pela Universidade de Aveiro (1998). Como concertista, tem apresentado recitais tanto solo como música de câmara e concertos com orquestras nos grandes auditórios e festivais portugueses e, também, em França, Itália e China. É detentora dos prémios nos Concursos de “Cidade de Covilhã”, “Solistas da Juventude Musical Portuguesa”, “Prémios Jovens Músicas da RDP” e “Juventude Musical Portuguesa”. Foi bolseira da Fundação Oriente com a qual continua a manter uma ligação próxima na promoção da cultura musical chinesa, em Portugal, e vice-versa. A partir da sua tese de doutoramento, que sequenciou investigação em estudos culturais da música erudita, interessou-se, especialmente, na interação entre a música ocidental e a música chinesa do Século XX e XXI, tendo publicado vários artigos em ata de conferência e em revista, tanto em Portugal como no Brasil. É frequentemente convidada para realizar concertos/palestras das músicas da China e de Portugal.

Masterclass

Piano com Luís Pipa

Masterclass
23 e 27 de Abril, 2019 (ter. e sáb.)
Horário: Dia 23: 14h30-18h00; Dia 27: 14h30-17h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
LUÍS PIPA
Luís Pipa é hoje um dos pianistas portugueses mais completos da sua geração. À originalidade das suas interpretações associa-se uma grande solidez conceptual, fruto de uma sólida formação académica.
Nascido na Figueira da Foz, iniciou os estudos de piano no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga com Natércia Gonçalves, prosseguindo mais tarde os estudos com Maria Teresa Xavier no mesmo Conservatório e no Conservatório de Música do Porto, onde se diplomou com distinção. Entre 1983 e 1986 aperfeiçoou-se na classe de concerto de Noel Flores na Hochscule Für Musik und Darstellende Kunst de Viena, tendo posteriormente obtido o grau de Master of Music in Performance Studies na Universidade de Reading, Inglaterra e o grau de Doutor (PhD) em Performance na prestigiada Universidade de Leeds, na sequência de uma investigação sobre o grande discípulo de Liszt José Vianna da Motta.
Estudou ainda com as pianistas Helena Sá e Costa e Laura O’Gorman, mas também contactou com figuras como Sequeira Costa, Jörg Demus, Marian Ribicky e Graham Barber.
Desde muito cedo a sua vocação para o ensino levou-o a exercer funções docentes no Conservatório de Música de Braga, na Academia de Música de Viana do Castelo e na Universidade do Minho. Integrou por diversas vezes júris de concursos pianísticos, sendo frequentemente convidado a orientar masterclasses em Portugal e no estrangeiro.
Luís Pipa apresenta-se regularmente em recitais a solo, integrando grupos de câmara, ou como solista de diferentes Orquestras. Da sua colaboração com outros músicos destacam-se os nomes dos violinistas Gerardo Ribeiro, Sergey Arutyunian Eliot Lawson e Gustavo Delgado, os violoncelistas Paulo Gaio Lima, Jaroslav Mikus, Alexander Znachonak e Pavel Gomziakov, o flautista Olavo Tengner Barros, os clarinetistas Allessandro Carbonare e Vítor Matos, os cantores Elisabete Matos, Rui Taveira, Sara Braga Simões e Oliveira Lopes, e os maestros Gunther Arglebe, Christopher Bochmann, Miguel Graça-Moura, António Soares, António Baptista, Miguel Clavel, Vasco Faria, Vitor Matos, Alberto Roque, Francesco Belli, Ernst Schelle, Hans Casteleyn, Paulo Areias e José Alberto Pina. A ele se devem primeiras audições absolutas de algumas obras, nomeadamente dos compositores Luiz Costa, João Heitor Rigaud e Christopher Bochmann, sendo também autor de peças para piano, música de câmara e canções, bem como de publicações de carácter pedagógico e científico. Das suas mais recentes aparições, destacam-se para além de masterclasses em Portugal, Espanha e Itália, apresentações na “Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura”, Festival Internacional de Música de Aveiro, Casa da Música (Porto), e em cidades como Viena, Oslo, Amesterdão, Helsínquia e La Valetta, para além da execução integral das sonatas para piano de Mozart, numa série de nove concertos em nove Igrejas Históricas da cidade de Viana do Castelo.
Tem-se interessado por outras formas de expressão artística, participando em projetos com os pintores Álvaro Rocha e De Miranda e os atores/encenadores António Durães e António Fonseca.
Luís Pipa possui uma vasta produção discográfica, que contempla repertório desde o barroco ao século XX incluindo, entre outras, obras de compositores como Bach, Scartatti, Mozart, Beethoven, Schubert, Schumann, Mendelssohn, Debussy, Khachaturian, assim como numerosas obras de compositores portugueses e algumas das suas próprias composições, como é o caso do seu CD ‘Portugal’, de 2009. Faixas deste CD figuraram na seleção oficial da companhia aérea portuguesa TAP, incluindo sonatas de Carlos Seixas e ‘My Beautiful Blue Country’, a sua aclamada versão introspetiva para piano solo do Hino Nacional de Portugal. Uma crítica publicada em dezembro de 2014 no Piano Journal considera este CD “notável e original” prevendo que a obra Suite Portugal deixará a sua marca em futuras antologias de música portuguesa, descrevendo ainda Luís Pipa como um pianista de grande “profundidade, poder e nobreza”, e a sua interpretação de obras de Vianna da Motta (CD, Toccata Classics, 2018) é descrita, na edição mais recente da mesma publicação, com palavras como “sedutora”, “profunda e comovente”, possuindo “magnitude e delicadeza de expressão”. Ainda em 2018 editou um duplo CD com obras de W. A. Mozart (Tradisom) tendo projetadas para 2019 novas edições em CD.
É professor de piano e música de câmara na Universidade do Minho, ocupando atualmente os lugares de Presidente da European Piano Teachers Association (EPTA) – Portugal e Vice-Presidente da EPTA internacional. Vem citado no Marquis Who is Who in the World, tendo sido considerado um dos ‘Top 100 Educators 2012’ pelo International Biographical Centre.

Masterclass

Guitarra com Dejan Ivanović

Masterclass
25 e 26 de Abril, 2019 (qui. e sex.)
Horário: Dia 25: 14h30-16h30; Dia 26: 09h00-12h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
DEJAN IVANOVIĆ
O guitarrista croata Dejan Ivanović nasceu em Tuzla (Bósnia e Herzegovina), em 1976, iniciando os seus estudos de guitarra com 8 anos de idade. Estudou com Predrag Stanković e Vojislav Ivanović na Escola Primária e Secundária de Música, e com Darko Petrinjak na Academia de Música de Zagreb. Participou em masterclasses de John Duarte, Thomas Müller-Pering, Elliot Fisk, Costas Cotsiolis, Valter Dešpalj (violoncelo), Michael Steinkühler (viola da gamba) e Igor Lešnik (percussão). Foi orientado por Christopher Bochmann no Curso de Doutoramento da Universidade de Évora entre 2011 e 2014. A sua carreira profissional começou simultaneamente com o estudo superior (1994-1998). Atuou nalguns dos mais prestigiosos festivais de música como Festival de Spoleto (convidado pessoalmente pelo maestro Gian Carlo Menotti para o lugar de Artista Residente), Festival de Verão de Edimburgo, Festival de Costa de Estoril, Festival de Guitarra de Gevelsberg, Porto — Cidade Europeia da Cultura e Guitarra Viva (Croácia), entre outros. Atua também integrado em vários conjuntos de música de câmara: com flautista Vasco Gouveia, violoncelista Jed Barahal, guitarrista Masakazu Tokutake, soprano Ana Ester Neves, Quarteto de Cordas Lyra, etc. É o vencedor do 1.º Prémio e Prémio especial para Melhor Interpretação da Música Espanhola no 13.º Concurso Internacional de Guitarra Doña Infanta Cristina (Madrid, 1998); 1.º Prémio do 3.º Concurso Internacional da cidade de Sinaia (Roménia, 1998); 1.º Prémio do 17.º Certamen Internacional de Guitarra Andrés Segovia (Herradura, 2001); 1.º Prémio e Prémio do Público no 35.º Certamen Internacional de Guitarra Francisco Tárrega (Benicássim, 2001); 1.º Prémio do 4.º Concurso Internacional de Creta (Arhanes, 2005). É igualmente premiado nos concursos em Roma
(Itália) e Sernancelhe (Portugal). Colabora com várias orquestras como a Orquestra Real de Câmara de Wallonie (Bélgica), Orquestra de Benicássim (Espanha), Orquestra de Câmara da Eslováquia, Orquestra Sinfónica de Vojvodina (Sérvia), Orquestra Sinfónica das Beiras e Orquestra Metropolitana de Lisboa. Os seus recitais na Europa, África, América do Norte, América do Sul e Ásia receberam uma forte aceitação por parte do público e da crítica. Revistas e jornais como Ritmo (Espanha), Bremer Umchau (Alemanha), Sunday Herald Times (Indiana-EUA), The Scotsman (Escócia), Slobodna Dalmacija (Croácia) e Oslobodjenje (BiH) publicaram críticas positivas sobre em relação às suas interpretações. A revista espanhola Ritmo descreve Dejan como (…) corajoso, sensível jovem artista com uma técnica supreendente e uma musicalidade e criatividade em cada nota e frase (…) (1998). Em Zagreb (Croácia), D. Komanov, escreve o seguinte sobre a arte de Ivanović:

[…] Interpretando um programa contrastante, enfatizado pela qualidade e peculiaridade de obras como Peças Líricas de Arregui e Sonatas de Bennett e Rózsa, Ivanović apresentou o concerto com um discurso interpretativo profundamente pessoal, pensativo e inspirado. No coração da sua abordagem, distinta por um tratamento do texto extraordinariamente claro e preciso, existe uma resolução de uma detalhada relação com a forma musical, onde as suas interpretações crescem e se desenvolvem pela perspicuidade da inteireza rica e complexa de cada obra. Articulando a tensão interior gerada pelo corpo musical, Ivanović nunca excede a margem invisível do externo ou do profano relativamente à dinâmica da expressão, mas sim, desvela uma paisagem delicada de introspeção para a perspetiva estabelecida do ouvinte. A paleta do som, bem como uma quase-perfeita qualidade geral de estrutura e imagem sonora em projeção, são caracterizadas pela acentuada expressão intimista — como um eco de rica herança alaudista. De alguma forma, isso foca a atenção para a plasticidade em relação à proximidade do enquadramento da singularidade estética de cada composição, dado que Ivanović sublinha elementos essenciais com o seu modo particular de comunicação, rico, sobretudo, em aspeto narrativo, mas igualmente claro e reflexivo. Por isso é que Rêverie op. 19 de Regondi brilhará com uma simplicidade espontânea e um certo charme de expressão baseada numa abordagem romântica visando a forma musical, Peças Líricas de Arregui serão marcadas pelo gesto de expansão livre de som que molda as suas camadas de relevo. A interpretação da Sonata de Bennett marcou o discurso de restrição, redução e de uma forte dinâmica interior com um extraordinário formato de som altamente preciso, que forneceu a receção total de uma obra tão complexa e tremendamente exigente na sua forma. Na Sonata de Rózsa foi interessante observar a transformação da retórica interpretativa do guitarrista, relacionada com a nitidez na separação do seu material.” (klasika.hr [Croácia], Janeiro de 2012)

A sua discografia a solo é constituída por CD Recital na Laureate Series da NAXOS (2002) com obras de Matilde Salvador, Anton García Abril, Frederic Mompou, Richard Rodney Bennett, Malcolm Arnold, Gordon McPherson e Francisco Tárrega, e por CD Mediterraneo (gravado em 2001, aguarda publicação) com obras de Boris Papandopulo, Vicente Asencio, Antonio José Martínez Palacios, Joaquín Rodrigo, Carlo Domeniconi e Mario Castelnuovo-Tedesco. Em 2013, gravou a obra Em Memória da Madrugada de Marina Pikoul para guitarra e orquestra com a Orquestra Clássica do Centro, sob a direção do maestro David Wyn Lloyd. Christopher Bochmann, Marina Pikoul, Tomislav Oliver, João Madureira, Jorge Pereira, Ricardo Abreu, Francisco Chaves e Carlos Gutkin são alguns dos compositores que dedicaram as suas obras para Dejan. Integra desde 2004, juntamente com o guitarrista grego Michalis Kontaxakis, o Duo de guitarras Kontaxakis-Ivanovich. O primeiro CD deste Duo, intitulado Les Deux Amis e gravado pelo produtor Hubert Kappel em Colónia (Alemanha), foi lançado em 2010 pela Editora KSG EXAUDIO. Em 2005 cria o Festival Internacional Guitarmania em Lisboa do qual é diretor artístico até 2010. É desde 2007, professor de guitarra no Departamento de Música da Universidade de Évora. É doutorado em Música/Interpretação desde Março de 2015 com o tema Colaboração Entre Compositor e Intérprete na Criação de Música para Guitarra: Estudo do Processo Editorial no Repertório de Inglaterra, Croácia e Portugal.

Masterclass

Piano com Giuseppe Andaloro

Masterclass
27 de Abril, 2019 (sábabo)
Horário: 09h30-12h30, 14h30-17h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 20€; Alunos externos: 35€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
GIUSEPPE ANDALORO
Giuseppe Andaloro é considerado um dos artistas mais apreciados da sua geração.
Nascido em Palermo em 1982, iniciou uma apaixonada e intensa atividade de concertos muito novo, realizando um amplo repertório que vai do Renascimento à música moderna e contemporânea. O seu arranjo para dois pianos e dois violoncelos de “Rite of Spring”, de Stravinsky, foi aclamado pela crítica e esgotado na noite da estreia.
Foi convidado de festivais de renome (Salzburger Festspiele, Ruhr Klavier, Spoleto Due Mondi, Bucareste Enescu, Ravello, Chopin Duszniki-Zdròj, AB Michelangeli de Brescia e Bergamo, Al Bustan Beirute, Mehli-Mehta Mumbai) e em alguns dos mais importantes locais de concertos do mundo, incluindo La Scala em Milão, Salle Gaveau em Paris, Konzerthaus em Berlim, Gasteig em Munique, Royal Festival Hall e Queen Elizabeth Hall em Londres, Santa Cecilia no “Parco della Musica” em Roma, Rudolfinum Dvořák Hall em Praga, Anfiteatro Simón Bolívar na Cidade do México, Teatro Oriente em Santiago do Chile, Sumida Triphony Hall em Tóquio, Esplanade Auditorium em Singapura, City Hall Concert Hall em Hong Kong, etc.
Toca regularmente com grandes orquestras (London Philharmonic, NHK Symphony, Singapore Symphony, Hong Kong Philharmonic, Philharmonische Camerata Berlin, London Mozart Players, Czech Philharmonic Orchestra) e grandes maestros como Vladimir Ashkenazy, Jean-Jacques Kantorow, Gianandrea Noseda, Andrew Parrott, Giuseppe Lanzetta e artistas internacionalmente aclamados, incluindo Sarah Chang, Giovanni Sollima, Sergej Krylov, Anna Tifu, Svetlin Roussev e John Malkovich.
Vencedor do primeiro prémio em alguns dos mais prestigiados concursos internacionais de piano – como “Ferruccio Busoni” em Bolzano, Concurso de Piano de Londres, Porto, Sendai, Hong Kong – em 2005 foi elogiado pelo mérito artístico do Ministério de Património e Atividades Culturais da Itália.
É creditado em variadíssimos discos (Sony, Warner, Naxos, Fontec Labels) e tem sido convidado em várias transmissões de rádio, como NHK-BS2 Tokyo, BBC Londres, Radio France Musique, Amadeus 103,7 Buenos Aires, Classic FM Radio Allegro Joanesburgo, RTSI Lugano, RDP Radiodifusão Portuguesa, Rai Radio3 Italia, Rádio Alemã SWR2, Rádio Vaticano, Rádio Clássica WRR Dallas, Rádio Hong Kong 4, Sinfonia Singapura 92.4FM, Rádio Pública Fresno Valley, etc.
Andaloro dá masterclasses em Itália e no exterior (Universidade de Tóquio Showa, Fresno California State University, Academia Internacional de Teclado da Tailândia, Sociedade Chopin de Kuala Lumpur, Hong Kong Chopin Society) e foi também júri em competições internacionais de piano.

Masterclass

Piano com Aquiles Delle Vigne

Masterclass
27 de Abril, 2019 (sábabo)
Horário: 09h30-12h30, 14h30-17h30.
Programa: Aulas individuais de 30 minutos.
Preço: Alunos do Conservatório de Viseu: 40€; Alunos externos: 75€; Ouvintes: 5€.
Fazer a inscrição
AQUILES DELLE VIGNE
«Poucos pianistas podem ir de um brilhante Mendelssohn até um retumbante Liszt passando por um aristocrático, sofisticado e encantador Ravel…» diz Harold Schoenberg do New York Times. O jornal italiano La Repubblica chama-lhe «um príncipe do piano…» e o PRS Rheinische Post «um grande senhor entre os pianistas…». O SVZ Salzburger Volkszeitung intitula a sua crítica «Do silêncio à força do aço».
Nascido na Argentina, Aquiles Delle Vigne deu o seu primeiro recital aos 8 anos. Aos 17 já era discípulo de Claudio Arrau e ganhou o restigiado Grande Prémio «Albert Williams». Este prémio abriu-lhe as portas das mais inportantes salas de concerto do continente. Depois completou a sua formação na Europa com o Prof. Eduardo Del Pueyo e com Georges Cziffra.
Realizou mais de 25 tournées no Japão, 10 na Austrália, bem como nos Estados Unidos da América, no México, em Hong-Kong, na Coreia e em toda a América do Sul. Temsido convidado pelos mais importantes festivais e apreseta-se nas mais importantes salas de concerto do mundo, Gstaad, Paris, Salzburgo, Madrid, Euro Festival em Seoul, Beethoven Festival, e foi dirigido por Lord Yehudi Menuhin, Leopold Hager, Georges Octors, Alberto Lysy, Lee Dong-ho, Bogo Leskowitch, Vladimir Kim, Emiel Simon, Edvard R. Tchivtzel, André Vandernoot, Edgard Donneux, Kamen Goleminov, Juan Carlos Zorzi, Jesus Medina, Claudio Santoro, Henrique Morelenbaum, D. Marinescou, Laurent Petit-Girard, com as mais importantes orquestras do mundo.
Também considerado um professor de topo no mundo, Aquiles Delle Vigne dá Masterclasses na International Sommerakademie Universität Mozarteum Salzburg, foi Visiting Professor no Royal Northern College of Music em Manchester e Professor Extraordinaire da National University em Taipei. Também é regularmente convidado pela Juilliard School, Manhattan e Mannes Schools de Nova York, pelo Conservatório Tchaikovsky de Moscovo e pelo Conservatório Korsakov de São Petersburgo, pelos Conservatórios Central e China de Pequim, pela Universidade Toho de Tóquio, pelas Hochschules de Munique, Weimar e Hamburgo, pelas Universidades de Viena, Seoul, Sydney, Melbourne, Pretória, Baltimore, Texas, Indiana, Osaka, Kyoto, Bangkok, Tel Aviv, Oslo, Lucca, Bergen…
Tem sido membro ou Presidente do Júri dos mais importantes Concursos Internacionais nos cinco continentes: Sydney, Pretória, Cincinatti, Xiamen, Georgia, Turin, Paris, Texas, Casagrande, Masters de Monte-Carlo, Roma e Varsóvia.
A sua vasta discografia (EMI His Master’s Voice, BASF Harmonia Mundi, BMG-RCA Victor, Naxos, Pavane e EMSsem) recebeu notáveis louvores e distinções. A sua interpretação dos Préludes de Olivier Messiaen perante o Papa João Paulo II, no Vaticano, mereceu os mais rasgados elogios do compositor.
Aquiles Delle Vigne acabou recentemente de gravar a integral das 32 Sonatas para Piano de Beethoven, que se vem juntar a outras integrais como a dos Estudos de Liszt, a da Música de Camera de Ravel (com Alberto Lysy) e a dos Concertos para Piano e Orquestra de Beethoven.

Inscrições

Para participar numa das nossas formações necessita de preencher este formulário.
Caso existam dúvidas pode contactar-nos para o email masterclasses@musicadaprimavera.pt.

Pagamento

O pagamento, sem o qual a inscrição não é válida, deverá ser feito através de transferência bancária e o respetivo comprovativo enviado para o email masterclasses@musicadaprimavera.pt.

Em alternativa, para aqueles que têm possibilidade de o fazer, poderão efetuar o pagamento presencialmente na secretaria do Conservatório Regional de Música Dr. José Azeredo Perdigão.

Os dados para transferência bancária são:

N.º 0045 3180 40033211014 78
IBAN: PT50 0045 3180 40033211014 78
N.º Swift: CCCMPTPL