Joaquín Clerch

16 Dezembro, 2020 pelas 19h00 (quarta)
no Teatro Viriato

Concerto live streaming em: www.musicadaprimavera.pt // Youtube // Facebook

Programa

JOAQUÍN CLERCH (n. 1965)
Preludios de primavera
I. Primavera
II. Las olas de Moncofa
III. Homenaje a Tschaikovsky
IV. El Adiós
V. Y si pienso en la Habana
VI. Souvenir de Granada
VII. Cuando tú no estás

JOAQUÍN TURINA (1882-1949)
Sonata
I. Lento
II. Andante
III. Allegro vivo

MANUEL DE FALLA (1876-1946)
Dos Danzas españolas
I. Danza del molinero (de “El Sombrero de Tres Picos”)
II. Danza española (de “La Vida Breve”)
Arranjo: Joaquín Clerch

(pausa)

ASTOR PIAZZOLLA (1921-1992)
Tres Tangos
I. Acentuado
II. Invierno porteño *
III. Adiós nomino **
* Arranjo: Sergio Assad
** Arranjo: Cacho Tirao

ALBERTO GINASTERA (1916-1983)
Sonata
I. Esordio
II. Scherzo
III. Canto
IV. Finale

Ficha Artística

Joaquín Clerch – Guitarra

O guitarrista cubano nasceu em 8 de agosto de 1965 em Havana, onde anos depois foi premiado com um dos mais prestigiados prémios de arte concedidos pelo governo cubano, a “Ordenação pela Cultura Nacional.”
Clerch estudou guitarra, música e composição na sua terra natal e em 1989 completou os seus estudos no Instituto Superior de Arte. Em 1990, continuou a estudar no exterior, na Universidade Mozart em Salzburgo, Áustria, onde foi aluno de Eliot Fisk e estudou música antiga com Anthony Spiri e Nikolaus Harnoncourt. Em 1991, terminou os seus estudos em Salzburgo com honras e recebeu um prémio por extraordinária conquista artística concedida pelo Ministério da Ciência e Pesquisa da Áustria. Ainda nesse ano, iniciou a sua carreira internacional de professor, primeiro como assistente do professor Fisk no Mozarteum e mais tarde lecionando no Conservatório de Munique. Desde 1999, dá aulas de guitarra no Conservatório Robert Schumann em Dusseldorf.
“Clerch é um músico de talento raríssimo. Não só é um excelente guitarrista virtuoso e extremamente poético, como provou também ser um intelectual extraordinário ao lidar com questões relacionadas à prática do desempenho e na criação de música em geral.” (Nikolaus Harnoncourt).
Joaquín venceu grandes competições de guitarra, incluindo o Concurso Internacional Andres Segovia (Granada, Espanha), Concurso Internacional de Guitarra Heitor Villalobos (Rio de Janeiro, Brasil), Printemps de la Guitare (Charleroi / Bruxelas, Bélgica) e ARD (Munique, Alemanha), entre outros. Já deu concertos por todo o mundo, em salas como o Concertgebouw (Amesterdão, Holanda), Palácio da Música (Barcelona, ​​Espanha), Teatro Royal de la Monnaie (Bruxelas, Bélgica), Alte Oper (Frankfurt, Alemanha), Semperoper (Dresden, Alemanha), Auditório Manuel de Falla (Granada, Espanha), Teatro Nacional (Havana, Cuba), Cemal Resit Rey (Istambul, Turquia), Kölner Philharmonie (Colónia, Alemanha), Brucknerhaus (Linz, Áustria), Auditório Nacional de Música (Madrid, Espanha), Münchener Philharmonie (Munique, Alemanha), Rádio França (Paris, França), Sala de Concertos de Pequim (Pequim, China) e Konzerthaus (Viena, Áustria).
Clerch atuou como solista com várias orquestras, incluindo a Orquestra Sinfónica da Rádio da Baviera, Orquestra Sinfónica de Espanha, Orquestra Nacional de Cuba, Orquestra Filarmónica de Bogotá, Orquestra Filarmónica de Stuttgart, Mozarteum Orchestra Salzburg e Orquestra Nacional de Capitole de Toulouse (conduzido por Michel Plasson). Tocou ainda com a Orquestra Filarmónica de Gran Canaria, conduzido por Adrian Leaper, com o qual ele gravou a primeira apresentação de dois concertos de guitarra escritos para ele por Leo Brouwer e Carlos Fariñas (Concierto de la Habana, 1998, e Concierto, 1996). Ambos os compositores eram seus professores e são considerados dois dos compositores mais importantes da história de Cuba.
O seu trabalho enquanto compositor foi publicado por Musikverlag Zimmermann, anteriormente Chanterelle.