DSCF3451

Rumos Ensemble

28 Abril, 2017 pelas 19h00 (sexta-feira)
no Teatro Viriato


Entrada: 5€ ou 2.5€ para público afeto ao Conservatório

Programa

“Recordai nobre senhor”
Arr. Anne Victorino d’Almeida

“Ó Rama ó que linda Rama”
Arr. João Vasco

“Um Homem na Cidade”
José Luís Tinoco / Arr. Anne Victorino de Almeida

“Fandango”
Arr. Anne Victorino d’Almeida

“Indo a Dona Silvana”
Arr. Anne Victorino d’Almeida

“Malhão do Porto”
Arr. Anne Victorino d’Almeida

“Rosinha”
Arr. Anne Victorino d’Almeida

Tema Tradicional de Mirandela
Arr. Anne Victorino d’Almeida

“Olhos Negros”
Arr. João Vasco

“Bailinho da Madeira”
Arr. Eduardo Jordão

Ficha Artística

Violino: Anne Victorino d’Almeida
Clarinete: Luís Gomes
Piano: João Vasco

“Tocando Portugal, Quase um Doc”

“Tocando Portugal – recital quase um Doc” é o nome do concerto multimédia concebido e interpretado pelo “Rumos Ensemble”. Inovador e ambicioso, este projeto reúne uma seleção de música tradicional de dez regiões portuguesas, arranjadas para trio de violino, clarinete e piano; a projeção de filmes inéditos de cada região, evocando a beleza e riqueza natural e arquitetónica do nosso país; depoimentos de personalidade de proeminência regional, nacional e internacional, naturais de cada região, como António Victorino d’Almeida, Graça Morais, Janita Salomé, Carlos Alberto Moniz, Rosa Mota, Lídia Jorge, Joaquim Lopes Santana, João Malheiro, Sérgio Azevedo e Vânia Fernandes.
A pertinência e singularidade deste recital emerge não só da interdisciplinaridade e transversalidade artística e estilística que alicerçam a sua génese, como da vontade de três músicos eruditos com carreiras internacionais, assinaladas nos quatro continentes, de olhar para o património musical tradicional português com uma energia renovadora, contemporânea, porém acessível a todos os tipos de público, do mais erudito ao mais popular.
Para além da variedade de caráter eclético dos arranjos, da pertinência da recolha musical, do rigor, precisão técnica e artística dos intérpretes desta formação, a dimensão multimédia de “Tocando Portugal” desvenda, de forma sintética e apelativa, paisagens, cidades, bairros, monumentos, danças, costumes e pessoas, potenciando e reforçando a memória e a identidade coletiva do nosso povo, cuja história se confunde com a história das suas ruas, bairros, monumentos e cidades.
Sob a égide do seu próprio nome, “Rumos Ensemble” levará Portugal ao Mundo.

Biografias

LUÍS GOMES
Iniciou os seus estudos no Conservatório Nacional, sendo diplomando pela ESML (licenciatura), pelo Conservatório Superior de Roterdão (U.M.), e Mestrado em Psicologia e Pedagogia da Música na F.C.S.H. da UNL.
Trabalhou com clarinetistas como: Guy Deplus, Michel Arrignon, Philipe Cuper, Walter Boykens, David Campbel, Joséf Horák. Obteve vários prémios entre os quais: 1.º Prémio do Concurso da Juventude Musical Portuguesa. Solista e 1.º Prémio, 1.º Prémio de Música de Câmara do Prémio Jovens Músicos, 3.º Prémio Solista do Concurso Nacional de Clarinete de Setúbal. Foi solista com orquestras como: Orquestra Mundial das Juventudes Musicais, Orquestra de Jovens do Mediterrâneo, Orquestra Portuguesa da Juventude. Tocou a solo com a Orchestrutopica, a OCCO, o GMCL e a Banda Sinfónica Portuguesa da PSP.
Atualmente colabora com as Orquestras: Fundação Calouste Gulbenkian, Sinfónica Portuguesa, Orchestrutopica, Sinfonietta de Lisboa e Metropolitana de Lisboa.
É membro fundador do Quarteto de Clarinetes de Lisboa, do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa e da direção da CULTIVARTE Associação Cultural. É diretor-adjunto e professor de clarinete da EMCN e professor de clarinete da Universidade de Évora. É artista Selmer Paris e D’Addario Woodwinds

JOÃO VASCO
Professor de piano na Escola de Música do Conservatório Nacional, divide-se entre o ensino e os palcos. Atuou, a solo ou em agrupamentos de câmara, em Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Irlanda e Brasil e em palcos portugueses como o CCB, Glubenkian, Culturgest, Teatro S. João ou Teatro D. Maria II. Com o apoio exclusivo do Museu do Fado, apresentou, em Outubro de 2010, o CD “AlémFado”, uma compilação de fados arranjados para piano solo por ilustres compositores portugueses dos universos do jazz e da música erudita, apresentado em vários países europeus e no Brasil. É diplomado pelo Conservatório Nacional (classe António Toscano), licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa (classe Miguel Henriques) e Mestre em Artes Musicais pela Universidade Nova de Lisboa. Como designer gráfico, fotógrafo e videasta colabora regularmente com instituições culturais e músicos portugueses. Desde 2010 coordena o departamento de imagem da Escola de Música do Conservatório Nacional. Em 2014 realizou a curta metragem “A Carruagem”, cuja co-autoria divide com Anne Victorino d’Almeida.

ANNE VICTORINO D’ALMEIDA
Licenciada em violino pela Academia Nacional Superior de Orquestra na classe da professora Agnès Sarosi, Anne Victorino d’Almeida nasceu em França em 1978. Filha mais nova do pianista e compositor António Victorino d’Almeida, divide a sua carreia musical entre o ensino, a interpretação e a composição. Professora de violino na Escola de Música do Conservatório Nacional desde 2004, é regularmente convidada para orientar masterclasses, destacando-se Maputo em 2011 e 2012 e Curitiba em 2013.
Como violinista, tem mantido uma carreira intensa, tendo sido membro fundador do Quarteto Lopes-Graça entre 2004 e 2013 (vencedor de prémio autores RTP/2010), para além de tocar com regularidade em diversas orquestras portuguesas. Na área da composição, foi premiada em 1997 como o prémio “Melhor Proposta Musical do Teatro na Década 97”. A sua obra é diversificada, abrangendo obras corais, de câmara, sinfónicas e bandas sonoras.
Atualmente é membro fundador do Quarteto Camões e do “Rumos Ensemble”.

Mecenas: Publiferrão

publiferrao

O concerto