13-destaque

1P. InSax_Quartet // 2P. Pulsat Percussion Group

13 Abril, 2017 pelas 19h00 (quinta-feira)
no Teatro Viriato


Entrada: 5€ ou 2.5€ para público afeto ao Conservatório

1.ª Parte: InSax_Quartet

13abr-insax

Programa

F. DECRUCK (1896-1954)
Variations Saxophoniques

P. GLASS (n. 1932)
Saxophone Quartet

Ficha Artística

Sax Barítono: Joel Rodrigues
Sax Tenor: Jorge Filipe Páscoa Oliveira
Sax Alto: Dulcineia Guerra
Sax Soprano: José Eduardo Magalhães

Numa época de florescimento musical ao nível de grupos de música de câmara em geral e em particular quartetos de saxofone, surgiu a necessidade por parte de quatro amigos em se juntarem e criarem o primeiro quarteto de saxofones profissional do distrito de Viseu – InSax_Quartet.
Partilham o mesmo gosto pela música e por este instrumento tão versátil quanto o programa que apresentam. Incidindo num repertório que permite explorar novas sonoridades, assim como alguns dos clássicos de música escrita nos séculos XX e XXI, um pouco por todo o mundo.
Um quarteto peculiar, com um espírito inovador, procurando novos desafios, assim se define.

Biografias

JOSÉ EDUARDO MAGALHÃES
Iniciou os seus estudos musicais aos 6 anos em Genebra (Suíça). Aos 10 ingressou na Banda Musical e Recreativa de Penalva do Castelo, onde começou a tocar saxofone, assim como em outras bandas para as quais foi convidado. Em 1998 entra para o Conservatório Regional de Música Doutor José Azeredo Perdigão de Viseu, na classe do professor António Madeira Alves e mais tarde na do professor Carlos Canhoto.
Entrou para o ensino superior no ano letivo de 2003/2004 na Universidade de Évora, estudando Saxofone com o professor José Massarrão.
Participou em cursos de jovens músicos promovidos pelo INATEL, assim como em cursos de aperfeiçoamento com os professores Claude Delangle, Mário Marzi, Jean-Yves Fourmeau, Stephane Laporte, Henk van Twillert, Bart Kok, José Menezes, Carlos Martins. Em 2009 foi semi-finalista na 22.ª Edição do Prémio Jovens Músicos da R.D.P.. Participou ainda em outros concursos internacionais, nomeadamente na 5.ª Edição do Concurso International Adolphe Sax em Dinant – Bélgica (2010) e na 1.ª Edição do “Nochta Competition” em Zagreb – Croácia (2014). Em 2015 participou no 17.º Congresso Mundial de Saxofone em Strasbourg – França.
Começou a lecionar saxofone e música de câmara desde cedo, passando pelas seguintes escolas: Conservatório Regional de Castelo Branco; Academia de Música e Dança do Fundão; Escola de Música Canto Firme de Tomar; Escola de Música Pedro Álvares Cabral em Belmonte; Escolas de Música das Filarmónicas do Entroncamento, de Santa Comba Dão, de Tondela…
Atualmente leciona no Conservatório Regional de Música Dr. José Azeredo Perdigão de Viseu; no Conservatório de Música e Artes do Dão e no Curso Profissional de Música do Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão. É ainda finalista no Mestrado em Música na ESART.

DULCINEIA GUERRA
Iniciou os seus estudos musicais em saxofone aos 6 anos na Escola de Música da Filarmónica Boa Vontade Lorvanense, prosseguindo-os no Conservatório de Música de Coimbra, inicialmente como aluna do professor Madeira Alves e posteriormente sob a orientação do professor Rogério Cruz.
Em 1999 ingressou no curso de música da Universidade de Évora, na classe do professor José Massarrão, concluindo-o em 2004. Estudou saxofone jazz na Escola de Jazz do Barreiro.
Em 2007 decide realizar o Mestrado em Estudos Artísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Como saxofonista participou no Ensemble de Saxofones do CMC, Orquestra de Sopros de Coimbra, CMC Big Band, Orquestra da Universidade de Évora, Orquestra da EPABI, Combo dos professores da Escola de Jazz do Barreiro, grupo de rock Cynicals, entre outros.
Desde que concluiu o curso em saxofone, lecionou no Conservatório Regional Maria Campina, em Faro; Conservatório Regional da Covilhã, Colégio S. Teotónio, Coimbra; Escola de Artes do Norte Alentejano; Conservatório Regional de Castelo Branco; Escola de Música de Belmonte e atualmente leciona na Escola de Artes de Penacova e no Conservatório de Música e Artes do Dão.

JORGE FILIPE PÁSCOA OLIVEIRA
Nascido em 1991, em Coimbra, iniciou os seus estudos musicais em saxofone aos 7 anos na Escola de Música da Filarmónica Fraternidade Poiarense.
Aos 12 anos, foi admitido no Conservatório de Música de Coimbra em saxofone, concluindo o curso em 2012. Representou a escola com uma composição original no Centro Cultural de Belém.
Estudou saxofone Jazz durante 2 anos, e bateria durante 1 ano. Integrou grupos como Ensemble do CMC, Orquestra de Sopros de Coimbra, CMC Big Band, Muzzak Quarteto e muitos outros.
Trabalhou com nomes do mundo saxofonístico como Carlos Canhoto, Manuel Mijan, Jérôme Lara e outros.
Atualmente é finalista da licenciatura em Saxofone-performance na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco onde pôde trabalhar em coro com José Carlos Oliveira e Francisco Rodilha e em Direção Coral com Gonçalo Lourenço. Participou em masterclasses/cursos de direção de orquestra com Simão Francisco, Pedro Oliveira, Jean-Sebastien Bereau e Tiago Alves.
Atualmente é coordenador e professor da Escola de Música da Filarmónica Fraternidade Poiarense, professor de saxofone na Escola de Música da FILVAR, e maestro da Filarmónica Fraternidade Poiarense, Filarmónica da Casa do Povo de S. Pedro do Alva e Coro Misto da Filarmónica Fraternidade Poiarense, assim como fundador da Academia Poiarense de Artes e Espetáculos.

JOEL RODRIGUES
Iniciou os seus estudos na Banda Filarmónica da Casa do Povo de Penacova, em Penacova e no Conservatório de Música de Coimbra. Mais tarde ingressou na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, onde concluiu a Licenciatura em Saxofone. Atualmente, na mesma Instituição, frequenta o Mestrado em Ensino da Música, em Saxofone.
Como convidado, tem integrado diversas formações onde se destacam Orquestra de Sopros de Coimbra, Ensemble de Saxofones de Coimbra, Orquestra Sinfónica da ESPROARTE, Orquestra Sinfónica da ESART, Orquestra Ligeira da Covilhã, entre outros agrupamentos.
Atualmente é professor da Classe de Saxofones no Conservatório de Música Ourém-Fátima e na Escola de Música do Orfeão de Leiria.

2.ª Parte: Pulsat Percussion Group

13abr-pulsat

Programa

JORGE PRENDAS (n. 1968)
Cage da Serra

IGOR C. SILVA (n. 1989)
ECOS_74

DANIEL BERNARDES (n. 1986)
In Memoriam: Bernardo Sassetti

AURÉL HOLLÓ (n. 1966)
José beFORe JOHN5

Pulsat Percussion Group, fundado em março de 2012, procura promover a música contemporânea para percussão com recurso a novas abordagens da experimentação. Foi desde logo premiado com o 2.º lugar no Prémio Jovens Músicos, na categoria de Música de Câmara, nível superior, seguindo-se o 2.º prémio no III Concurso Internacional de Música de Câmara Cidade de Alcobaça (CIMCA), em 2013. Mais recentemente, participou no International Percussion Competition Luxembourg (2015) tendo alcançado a semifinal. De entre as suas atuações, destacam-se os concertos no Harmos Festival na Casa da Música; no Teatro Helena Sá e Costa, no âmbito do Euroclassical; no festival Via Stellae em Santiago de Compostela; no Auditório de Espinho, num concerto de apresentação de várias obras originais para percussão, de autores portugueses. Entre os diversos compositores do reportório do Pulsat Percussion Group elegem-se obras de Aurél Holló, John Cage, Christopher Deane, Lukas Ligeti, Nigel Westlake, Jesus Torres, Luís Tinoco, João Pacheco, Jorge Prendas, Igor Silva, Daniel Bernardes e Paulo Perfeito. A qualidade musical da sua performance surpreende todos os presentes, elevando a música contemporânea nacional e internacional ao mais alto nível.

Biografias

ANDRÉ DIAS
Iniciou os seus estudos musicais aos oito anos, estudou na Academia de Música de Espinho, na Escola Profissional de Música de Espinho e, em 2013, concluiu a licenciatura na ESMAE – Porto sob orientação de Miquel Bernat e Manuel Campos com a classificação maxima no recital final. Foi distinguido nos mais variados concursos: 2.º no “VI International Percussion Competition – Fermo” solo snare drum (2008), vencedor do Concurso “Helena Sá e Costa” (2011), 1.º prémio no “Prémio jovens Músicos” – 27.ª edição, percussão solo – nível superior (2013), ao qual se seguiu o prémio especial “European Union of Music Youth Competitions”. Enquanto solista já teve a oportunidade de tocar com a Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra Sinfonietta da ESMAE e Orquestra Gulbenkian. Atualmente é membro do Pulsat Percussion Group, chefe de naipe da Banda Sinfónica Portuguesa, 1.º reforço na Orquestra Sinfónica do Porto – CdM, docente na Academia de Música Costa Cabral e colabora regularmente com o Drumming GP e Orquestra Gulbenkian, de referir ainda que foi selecionado param “Lucerne Festival Academy” 2014 sob a orientação artística de Pierre Boulez.

JOÃO DIAS
Percussionista, licenciado e mestre pela ESMAE (Porto), na classe de Miquel Bernat e Manuel Campos. Iniciou recentemente o Doutoramento em Artes Musicais na variante de Prática Instrumental, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, para o qual foi admitido em 1.º lugar. É membro do Drumming Grupo de Percussão desde 2004, tendo participado em concertos no continente europeu e africano, e com o qual já gravou 4 discos. Estreou dezenas de obras de compositores de várias nacionalidades, dos quais se destaca a estreia do Concerto n.º 2 para 3 percussionistas e orquestra, de Marlos Nobre, com Orquestra Gulbenkian. Integrou a European Union Youth Orquestra (2006-2009) onde trabalhou com Vladimir Ashkenazy, Rainer Seeguers e Simon Carrington. Como solista, desenvolveu a pedido do diretor artístico do festival Música Viva, Miguel Azguime, o projeto Caixa Elétrica em 2016, com estreia mundial de 3 obras de compositores portugueses. É investigador do Grupo de Investigação em Música Contemporânea do CESEM, onde dedica particular interesse na mediação entre compositor e intérprete na criação de nova música para percussão. É também membro da Orquestra de Gamelão da Casa da Música, Pulsat Percussion Group, Clarinetes Ad’Libitum e percussionista convidado do Sond’Ar-te Electric Ensemble. Colabora regularmente com Remix Ensemble e Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, entre outros. Mantém atividade como docente na Academia de Música de Espinho e no Conservatório de Música da JOBRA.

NUNO SIMÕES
Iniciou os seus estudos no Conservatório Calouste Gulbenkian em Aveiro, passando pela Escola Profissional de Música de Espinho (EPME) e Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo (ESMAE), onde obteve a licenciatura no ano de 2009. Foi laureado em diversos concursos, com destaque para: 1.º prémio no 2.º Concurso Ibérico de Caixa “Tum-pa-Tum-pa”, categoria C; 3.º prémio no “Prémio Jovens Músicos” – 21.ª Edição, categoria percussão – nível superior; 1.º prémio no “Prémio Jovens Músicos” – 24.ª Edição, categoria percussão – nível superior; 2.º prémio no “Prémio Jovens Músicos” – 26.ª Edição, categoria música de câmara – nível superior; 2.º prémio no III Concurso Internacional de Música de Câmara de Alcobaça “CIMCA” categoria sénior. Enquanto solista destacam-se as performances na Casa da Música com a estreia de obras de Ângela da Ponte e Nuno Peixoto de Pinho; com a Orquestra Gulbenkian com o Concerto para Marimba e Orquestra de Cordas de Emmanuel Séjourné; com a Banda Sinfónica Portuguesa com a obra de Joséph Schwantner, Concerto para Percussão; com a Orquestra Clássica de Espinho com a obra “Spices, Perfumes, Toxins!” do compositor Avner Dorman; e com Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música com o Concerto para Bombo e Orquestra do compositor Gabriel Prokofiev. No domínio da música de câmara colabora com o Drumming GP, tendo participado na gravação dos cd’s “Pocket Paradise” e “MARES”. Fundador dos Pulsat Percussion Group (quarteto de percussão) e duo.pt (duo de percussão e trompete), dois projetos de música contemporânea, no âmbito dos quais foram escritas e estreadas diversas obras de compositores portugueses. É professor de percussão na Escola Profissional de Música de Espinho e Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo. Desde 2011, Nuno Simões é solista do naipe de percussão da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música.

PEDRO GÓIS
Nascido a 26 de Dezembro de 1989 na cidade de Espinho, iniciou os seus estudos musicais aos oito anos de idade. Em 2004 foi admitido na Escola Profissional de Música de Espinho, no curso de percussão, e em 2007 na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo, tendo trabalhado com os professores Manuel Campos, Miquel Bernat, Nuno Aroso e Rui Gomes. Participou em vários masterclasses com músicos de renome internacional, tais como, Jeffery Davis, Pedro Carneiro, Rainer Siegers, entre muitos outros. Prestou serviços como músico nas seguintes Orquestras/Grupos: Orquestra Gulbenkian; Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música; Orquestra Sinfónica Portuguesa; Orquestra Metropolitana de Lisboa; Ictus Ensemble; Drumming; Orquestra do Algarve; Orquestra Utópica; Orquestra Clássica de Espinho; Orquestra Sinfonietta (ESMAE); Orquestra da APROART e Orquestra Clássica da Póvoa de Varzim. Atualmente é membro do grupo Pulsat Percussion Group, que em 2012 obteve o segundo lugar no concurso Prémio Jovens Músicos Portugueses (Música de Câmara – Nível Superior) .

Os concertos em fotografias