DSCF2051

Kika Materula com Quarteto de Cordas Fins

10 Abril, 2017 pelas 21h00 (segunda-feira)
no Teatro Viriato


Entrada: 5€ ou 2.5€ para público afeto ao Conservatório

Programa

W. A. MOZART (1756-1791)
Quarteto em Fá Maior para oboé e cordas KV 370
Allegro
Adagio
Rondeau

J. HAYDN (1732-1809)
Quarteto de Cordas, Op.1, nr 1
Presto
Menuetto
Adagio
Menuetto
Finalle: Presto

B. H. CRUSELL (1775-1838)
Divertimento em Dó Maior para oboé e quarteto de cordas, Op.9
Allegro
Andante poco Adagio
Allegro Vivace

A. REICHA (1770-1836)
Quinteto em Fá Maior para oboé e cordas, Op.107
Allegro non tanto
Andante Siciliano
Minuet e Trio
Finale: Vivace

Ficha Artística

Oboé: Kika Materula
Violoncelo: Ângela Carneiro
Violino: David Ascensão, João Andrade
Viola: Francisca Fins Zlotnikov

Biografias

KIKA MATERULA
Eldevina Materula, também conhecida por Kika Materula, iniciou os seus estudos musicais aos 7 anos de idade na Escola Nacional de Música de Maputo (Moçambique).
Em 1995, já em Portugal dá continuidade aos seus estudos musicais e tem o seu primeiro contacto com o oboé. Terminou a sua licenciatura na ESML na classe do prof. Andrew Swinnerton (oboé), e prof. Olga Prats (Música de câmara). Na Malmö Academy of Music, terminou a sua Pós Graduação na classe do prof. Bjorn Carl Nielsen.
Durante a sua formação frequentou vários cursos de aperfeiçoamento com os professores Thomas Indermüller, Ernest Rombout, H. Shellenberger, Alex Klein, Christian Wetzel, Francois Lelleux, entre outros. Realizou concertos de Norte a Sul de Portugal, bem como em Espanha, Alemanha, França, Dinamarca, Suécia, Angola, Moçambique, Brasil, entre outros. Em 2001, venceu a XVI edição do Prémio Jovens Músicos na categoria de oboé.
Colaborou como convidada com a Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, Malmö Symphonie Orchestra (Suécia), Malmö Opera Orchestra, Danish Radio Sinfonietta (Dinamarca), Orquestra Sinfónica da Bahia (Brasil), Kwazulu Natal Philharmonic Orchestra (África do Sul), entre outras.
Tocou a solo com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Nacional do Tejo, Orquestra Gulbenkian (PJM 2001), Orquestra Sinfónica da Bahia, Orquestra de Câmara Portuguesa, Kwazulu Philarmonic Orchestra e com a Johanesburg Festival Orchestra.
Enquanto docente, trabalhou na Escola Profissional de Música de Évora, na Escola de Música de Palmela, no Projeto Neojibá (Brasil) e na Academia de Música Costa Cabral. É professora convidada do Projecto social Neojibá (Brasil).
Atualmente, desempenha as funções de Solista na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Kika Materula, é Diretora Artística do Projeto Xiquitsi/Temporada de Música Clássica de Maputo desde a sua fundação, e em Maio de 2016 foi condecorada com a medalha da Ordem de Mérito pelo Presidente da República Portuguesa.

FANCISCA FINS ZLOTNIKOV
Francisca Fins nasceu em 1980. Iniciou os seus estudos musicais aos 8 anos de idade com aulas privadas de piano e iniciação musical.
Em 1992 ingressa na Escola Profissional e Artística do Vale do Ave – Artave, onde conclui, em 1998, o curso de Instrumentista de Cordas com o Professor Alberto Gaio Lima. Nesse mesmo ano participou no projeto Orquestra A.I.D.I.M.O.S sob a direção do Maestro Ernst Shelle na Bósnia-Herzegovina.
Fez parte da Orquestra das Escolas de Música orientadas pelo Maestro Leonardo de Barros nos estágios de 95, 96 e 97. Frequentou cursos de aperfeiçoamento com Gerardo Ribeiro, Boris Kuniev, Yfrah Nyman, Lydia Mordkovich, Angélique Loyer, Jan Dobrzelewski e David Lefévre. Colabora frequentemente com a Orquestra Gulbenkian, Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Metropolitana, Orquestra de Câmara Portuguesa, Orquestra de Câmara Cascais e Oeiras, entre outras. Foi concertino da Orquestra Nacional do Tejo e professora da Academia de Música da Orquestra Nacional do Tejo. Lecionou também na Escola de Música Jaime Chavinha em Minde durante 4 anos.
Concluiu a licenciatura em Violino pela Escola Superior de Música em 2003, classe do Professor Aníbal Lima com 16 valores e em Música de Câmara, classe da Professora Olga Prats com 20 valores. Teve aulas de aperfeiçoamento com Amichai Grosz, chefe de naipe das violas da Orquestra Filarmónica de Berlim e mais recentemente com a professora Ana Bela Chaves.
Atualmente é orientada por Samuel Barsegian, chefe de naipe das violas da Orquestra Gulbenkian.

DAVID ASCENSÃO
Iniciou o estudo de violino aos 8 anos na Alemanha e posteriormente na Escola Profissional de Música de Évora. Em 2002 ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa onde concluiu a Licenciatura bietápica na classe de Violino do professor Aníbal Lima com 19 valores e na classe de Música de Câmara da professora Irene Lima com 20 valores.
Com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, prosseguiu os seus estudos na Lithuanian Academy of Music and Theatre onde obteve o “Master’s Artistic Performance Diploma” em Violino, na classe do Professor Martynas Svegzda von Bekker, com classificação máxima. Durante este periodo apresentou-se a solo com a Orquestra da ESML e LMTA interpretanto obras de P. Sarasate, e J. Brahms.
Efetuou concertos em diversos países como a Lituânia, Polónia, Holanda, Bélgica, Itália, Áustria, Espanha, França, Suíça e Alemanha, e apresentou-se em festivais como o Bach Fest em Detmold e o Festival Pablo Casals em Prades.
Foi laureado no concurso Jovens Músicos RDP-Antena 2 com um 2.º prémio em 2004 na categoria Violino-Nível Superior e em 200, com o Quarteto Blanc, com um 1.º Prémio na categoria de Música de Câmara – Nível Superior.
No ano seguinte, com o apoio da Fundação GDA o Quarteto Blanc gravou o seu primeiro CD com obras de D. Shostakovich, A. Webern e Joly Braga Santos, e apresentou-se em concerto no 36.º Festival do Estoril, Festival Música de Leiria, Casa da Música – Porto e o 32.º Festival Internacional de Música da Póvoa do Varzim.
Realizou diversos cursos de aperfeiçoamento sob a orientação de nomes como Christian Tetzlaff, Gerardo Ribeiro, Latica-Honda Rosenberg, Lydia Mordkovitch, Paul Roczeck, em violino e Avedis Kouyoumdjian, Jan Talich (Talich Quartet),Wolfgang Laufer (Fine Arts Quartet), Artis Quartet, Itamar Golan, David Geringas e Vladimir Mendelssohn em Música de Câmara. Foi concertino assistente na OCCO em 2014 e membro da Nordwestdeutsche Philharmonie em 2015.
Colabora regularmente com a OML, Orquestra Utópica, Sinfonietta de Lisboa e com a Orquestra Gulbenkian, com a qual efetou várias digressões Internacionais, e teve a oportunidade de trabalhar com maestros de renome tais como Gustavo Dudamel, Christian Zacharias, Simone Young, Esa-Pekka Salonen, John Axelrod, Daniel Barenboim, Pinchas Zukerman, Michael Zilm, entre outros. Integrando ainda a Orquestra Gulbenkian, gravou cd’s para as editoras Pentatone, Naïve e Trem Azul sob a direção do Maestro Lawrence Foster e Joana Carneiro.
Foi Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian entre 2004-2009. É membro fundador da Camerata Alma Mater dirigida pelo Maestro Pedro Neves.

JOÃO ANDRADE
João Andrade nasceu em Ponta Delgada, São Miguel, Açores. Estudou com Shelley Ross, na Academia de Música da Ribeira Grande e no Conservatório Regional de Ponta Delgada, concluindo o 8.º grau no Conservatório Regional de Ponta Delgada e o 12.º ano na Escola Secundária Antero de Quental em regime articulado no curso de instrumento, e com Aníbal Lima, pedagogo incontornável do panorama violinístico português, diplomando-se pela Academia Nacional Superior de Orquestra e Universidade Lusíada de Lisboa, tendo sido bolseiro de mérito da Fundação Medeiros e Almeida. João Andrade tem vindo a beneficiar do contacto com importantes personalidades nacionais e internacionais como Zakhar Bron, Serguei Kravchenko, Alexander Trostiniansky, Boris Garlitsky, Daniel Rowland, Danusha Waskiewickz, entre outras, tendo frequentado a Meadowmount School of Music, Nova Iorque, Estados Unidos da América, na classe de violino de Gerardo Ribeiro e de música de câmara de Steven Rochen, Mellisa Kraut, Kathryn Votapek, Patricia McCarty. A convite de Lucia Hall, assistente de Dora Schwarzberg em Viena de Áustria, atuou no «Casalmaggiore International Summer Festival», Cremona, Itália.
Apresentou-se em recitais a solo e música de câmara em Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Estados Unidos da América e Brasil, tendo sido nomeado para a categoria «Revelação» pelo jornal «Correio dos Açores» nos «Mais dez de 2009» pelos seus recitais com o pianista russo Alexei Eremine no Teatro Micaelense em Ponta Delgada, São Miguel, Açores.
Em 2011 foi semi-finalista no concurso internacional «Jovens Violinistas 2011» em Lisboa e no concurso da RTP/RDP «Prémio Jovens Músicos 2011 – Violino, Nível Superior». Apresentou-se como solista à frente da Orquestra de Câmara de Ponta Delgada e Horta Camerata, nos Açores, em obras para violino e orquestra de A. Vivaldi, W. A. Mozart e L. Van Beethoven.
Em 2013 foi convidado a integrar a Camerata Atlântica, formada por instrumentistas da Orquestra Gulbenkian e Orquestra Sinfónica Portuguesa com direção artística de Ana Beatriz Manzanilla, atuando nas principais salas e festivais do país. Tem vindo a colaborar regularmente com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Ensemble do Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra de Câmara Portuguesa, entre outras.
É membro fundador do Trio Garrett, criado em 2014, juntamente com a violoncelista Ângela Carneiro e a pianista Melissa Fontoura.
Atualmente, exerce funções docentes como professor de violino da Escola de Música do Colégio Moderno, em Lisboa.

ÂNGELA CARNEIRO
Ângela Carneiro inicia os seus estudos musicais na Escola Profissional Artística do Vale do Ave – Artave – na classe da Prof. Pétia Samardjieva. Mais tarde, ingressa na Academia Nacional Superior de Orquestra – ANSO – onde trabalhou com o Prof. Pedro Neves e com o Prof. Paulo Gaio Lima. É na Escola Superior de Música de Lisboa, com a orientação da Prof. Clélia Vital, que termina o Mestrado em Música.
Ao longo do seu percurso teve oportunidade de trabalhar com vários violoncelistas entre eles: Luís Claret, Daniel Muller Schott, Clélia Vital, Xavier Ganhepain, Romain Garioud, Miguel Rocha, Rainer Zepperling, Dmitri Fershtmann, Maria de Macedo, Gary Hoffman. Em 2008 integrou a escola de verão “Meadowmount School of Music”, no estado de Nova Iorque (E.U.A) onde trabalhou com Melissa Kraut e Hans Jensen.
Foi premiada no PJM (prémio Jovens Músicos) na modalidade de música de câmara (2001) e violoncelo (nível médio e nível superior, 2001 e 2004) e no “Torneo Internationale di Musica” (2005). É membro do Ensemble 20/21, do Trio Garrett e da Camerata Concerto Moderno, colabora regularmente com a Orquestra de Câmara Portuguesa e com a Orquestra Gulbenkian. É convidada regularmente para orientar cursos de verão, workshops e masterclasses por todo o país. É professora de violoncelo na Escola de Música do Colégio Moderno. Foi bolseira da AMEC de 2001 a 2003 e da Fundação Calouste Gulbenkian de 1998 a 2004.

O concerto em fotografias

slider
images not found